Cachoeiras na Serra do Cipó: Dicas e Roteiro do básico ao avançado

Cachoeiras na Serra do Cipó

As cachoeiras na Serra do Cipó são alguns dos lugares mais visitados pelos turistas de Minas Gerais. São muitas quedas d’água que atendem a todos os gostos: tem aquelas que você para o carro na porta, outras para quem curte trilhas (pequenas ou longas) ou ainda fazer o percurso de bicicleta. Tem até travessia de 3 dias para quem prefere uma experiência mais intimista.

E o melhor de tudo é que as cachoeiras na Serra do Cipó ficam muito próximas de Belo Horizonte (95 km) e do Aeroporto Internacional de Confins (73 km). Nesse artigo trago dicas e um roteiro do básico ao avançado pela região, confira:

Cachoeiras na Serra do Cipó

Cachoeiras na Serra do Cipó: informações gerais

Com a maior concentração do Estado de Minas Gerais, as cachoeiras na Serra do Cipó encantam os seus visitantes. São centenas delas espalhadas entre montanhas, parques e algumas propriedades particulares. Se puder, o melhor é planejar para conhecer as cachoeiras na Serra do Cipó durante a semana, quando o movimento é menor.

Como citei, são muitas opções de atrativos e passeios que podem atender a passeios de um único dia até algo com um mês inteiro! É possível (e super comum) fazer um bate e volta saindo de Belo Horizonte e cidades vizinhas para passar apenas um dia na região. Mas o melhor mesmo é ficar hospedado e conhecer as belezas locais por pelo menos duas noites. Foi o que eu fiz.

Cachoeiras na Serra do Cipó

Para chegar em Santana do Riacho, onde ficam as principais pousadas da Serra do Cipó, você não gasta mais do que 1 hora e meia saindo de Belo Horizonte. Se você procura como ir do Aeroporto de Confins até a as cachoeiras da Serra do Cipó o melhor jeito é alugar um carro, são cerca de uma hora e quinze minutos. Não deixe de pesquisar e conferir as cotações e promoções no site da Rentcars.

Dinheiro e sinal de telefone:

Não há caixas eletrônicos em Santana do Riacho, a cidade base da Serra do Cipó. Portanto leve dinheiro vivo para algumas despesas básicas, inclusive para barganhar descontos. É possível sacar dinheiro na única lotérica da cidade, mas essa opção é apenas para quem for correntista da Caixa Econômica ou Banco do Brasil. De uma forma geral os estabelecimentos aceitam cartões, mas tudo depende do sinal.

Aconteceu comigo de estar jantando em um restaurante e acabar a energia, sendo que o pagamento podia ser realizado somente em dinheiro. Além disso, a maioria dos estabelecimentos prefere (ou até limita) o pagamento apenas com cartão de débito.

Cachoeiras na Serra do Cipó

A Vivo e a Claro são as melhores operadoras de telefonia nas cachoeiras da Serra do Cipó. Meu telefone da TIM ficou sem sinal a maior parte do tempo. Ainda sim, a grande maioria dos estabelecimentos oferece internet Wi-Fi, inclusive nas pousadas.

Infelizmente esse não é um destino amigável para animais domésticos. A única cachoeira que permite o acesso com cachorros é a Cachoeira da Caverna e o único hotel “pet friendly” é a Pousada das Pedras. Uma pena, mas se ainda sim você quiser viajar e levar seu animal de estimação então existe o Cipó Pet (31 99841-7388), onde seu animal pode dormir ou apenas passar o dia.

Dicas para obter descontos nas Cachoeiras da Serra do Cipó:

Perguntando e pesquisando acabei descobrindo que existem várias formas de obter descontos para entrar nas cachoeiras privadas, restaurantes e até no aluguel de bicicleta.

Cachoeiras na Serra do Cipó

A maior e melhor forma de obter descontos é pelo aplicativo ou site do Guia Cipó. Nele você encontra ofertas e promoções semanais. Para se ter uma ideia, o aluguel da bicicleta custava R$50 na hora e se adquirida pelo guia saia por R$35.

Você pode obter os descontos diretamente nos terminais de compra que ficam espalhados em diversos locais na Serra do Cipó. Não deixe de aproveitá-los! Além disso, pergunte sobre como conseguir descontos na sua hospedagem. Acabei descobrindo que o Restaurante Mangiare Cipó oferecia 10% de desconto para os hóspedes.

Foi assim também que descobri sobre o desconto de 50% no aluguel da segunda bicicleta feito com a Casa dos Ciclistas. Funciona assim: Você precisa passar na sede da empresa, que fica logo na entrada da cidade (depois da ponte), e pagar o valor da locação em dinheiro.

Alugar uma bike é muito importante, para não dizer quase imprescindível a quem pretende conhecer a Cachoeira da Farofa, o cânion das bandeirinhas e outros atrativos que estão na entrada da Portaria Areias, no Parque Nacional da Serra do Cipó. Depois acabei descobrindo que no aplicativo Guia Cipó era possível obter o mesmo desconto mesmo que fosse alugar somente uma bicicleta.

Outra boa opção de desconto era para passar o dia no ACM Serra do Cipó, uma espécie de Clube onde fica a popular Cachoeira Véu da Noiva.  O preço normal era R$30 reais, sendo que na pousada era fornecido um vale desconto de 20%, caindo então o preço para R$24 reais. Eu não sei você, mas penso que é sempre bom economizar, não é mesmo?

Quantos dias ficar nas Cachoeiras da Serra do Cipó? Do básico ao avançado

Pensando em atender a todos os gostos e públicos, elaborei um roteiro que começa do básico e vai até ao mais avançado. Note que a disponibilidade de dias e o seu gosto pessoal é o que manda nessa programação. Coloquei os atrativos mais importantes logo nos primeiros dias. Assim você já conhece logo de cara o que é mais popular e vai avançando conforme o seu tempo. Então ficou assim:

Dia 1: Chegada no Cipó: Hospedagem em Santana do Riacho e passar o dia no ACM Serra do Cipó (Cachoeira Véu da Noiva) e fazer a Trilha dos Escravos.

Cachoeiras na Serra do Cipó

  • Preço: R$30 reais (R$24 com desconto) para o dia inteiro na Cachoeira Véu da Noiva ou R$11 reais por uma hora no local. A Trilha dos Escravos tem acesso gratuito.
  • Dificuldade: fácil para chegar até o Véu da Noiva. É possível parar o carro no início da pequena trilha que leva até a cachoeira. O acesso tem corrimão e é feito por pedras firmes, sendo recomendável o uso de calçados. Já a trilha dos escravos tem dificuldade moderada com uma subida bastante ingrime e alguns pontos sem nenhum tipo de apoio. Ela não é recomendada para pessoas com problemas de saúde ou sem qualquer prática de atividades físicas.
  • Dica útil: leve uma garrafinha de água e não se esqueça do protetor solar. Optei em ir com uma sandália de trilha e amei a praticidade e estabilidade dela para caminhar.
  • Quanto tempo: a partir de uma hora ou o dia inteiro para visitar o Véu da Noiva. Para a trilha dos escravos reserve cerca de 1 hora para caminhada de ida e volta. Nessa última tem um pequeno poço para banho.
  • Com ou sem guia: Não é necessário guia para nenhum desses passeios.

Combinação perfeita:

Esses dois passeios são perfeitamente combináveis em uma tarde, sendo inclusive muito próximos um do outro. A entrada para apreciar a Cachoeira Véu da Noiva é limitada até as 16 horas. Caso não tenha tempo suficiente para passar o dia no local é possível também comprar a entrada para conhecê-la durante uma hora pelo valor de R$11 reais por pessoa, como já citei.

Cachoeiras na Serra do Cipó.

Você pode seguir dali mesmo para a trilha dos escravos, inclusive a pé. Siga a estrada no sentido Conceição do Mato Dentro. Ao passar pela primeira curva e logo no início da subida está a entrada para a trilha com uma pequena placa. Do lado esquerdo da pista tem um pequeno acostamento onde é possível estacionar carros.

A trilha dos escravos vai te proporcionar a vista de um belo mirante da Serra do Cipó e contato com a vegetação do cerrado. Seguindo por ela você ainda poderá conhecer a Cachoeira Véu da Noiva por cima e ainda desfrutar de um delicioso banho no pequeno poço que fica na sua parte superior.

Cachoeiras na Serra do Cipó.

Dia 2: Cânion das Bandeirinhas e Cachoeira da Farofa combinados com a estátua do Juquinha.

  • Preço: A entrada ao Parque Nacional da Serra do Cipó é gratuita. Mas se você não quiser fazer o percurso a pé, recomendo alugar uma bicicleta que custou R$50 reais (R$35 com desconto no aplicativo ou site Guia Cipó).
  • Dificuldade: moderado, afinal se quiser conhecer os dois atrativos você irá percorrer um total de 30 km. Para visitar os dois atrativos só mesmo de bicicleta. A maior parte do trajeto é plana e não exige muito esforço físico. Ainda sim, não recomendado para pessoas com problemas de saúde ou sem qualquer prática de atividades físicas por se tratar de um esforço longo. Eu mesmo fazendo apenas musculação aguentei o percurso sentindo poucas dores ao final.
  • Dica útil: O banco da bicicleta pode causar algum desconforto a quem não tem prática com a atividade. Recomenda-se utilizar uma bermuda ou calça adequada para andar de bicicleta ou ter consigo uma capa para deixar o acento mais confortável.
  • Quanto tempo: O dia inteiro para os dois atrativos ou metade do dia para apenas um deles. Comece pela trilha dos cânions e na volta pare na Cachoeira da Farofa. O trajeto é lindo, ótimo para quem gosta de contemplar a natureza.
  • Com ou sem guiaNão é necessário guia para nenhum desses passeios, as trilhas estão sinalizadas.

Como conhecer a Cachoeira da Farofa e os cânions?

Esse passeio é um dos mais procurados por quem visita as cachoeiras na Serra do Cipó. Cheguei na entrada do parque por volta das 10 da manhã de uma terça-feira e o estacionamento estava praticamente vazio. Retiramos ali as bicicletas que foram pagas previamente na loja da Casa dos Ciclistas que fica na entrada da cidade.

Cachoeiras na Serra do Cipó.

Seguimos até a bifurcação entre a Cachoeira da Farofa e o caminho para os cânions. Pedalamos até o ponto onde não é possível mais seguir de bicicleta. Esse trajeto levou aproximadamente 1 hora. Depois de trancar as bicicletas, atravessamos um pequeno riacho e aproveitamos para nos refrescar nele. Dali foi mais 30 minutos de caminhada até chegar aos cânions.

Continue a pedalar…

Na volta, percorri mais 30 minutos até o ponto onde as bicicletas estavam paradas. Ao retomar a pedalada senti um pouco de desconforto no assento em razão da pouca prática. Levamos mais 30 minutos até retornar a bifurcação para a cachoeira da Farofa. Dali, mais 30 minutos até a cachoeira, sendo que deixamos as bicicletas praticamente na entrada das quedas d’água.

Cachoeiras na Serra do Cipó..

Por ali fiquei um bom tempo até finalmente retornar a bicicleta e voltar para a entrada do parque, gastando por volta de uma hora nesse percurso. No total foram três horas pedalando e uma hora caminhando. Particularmente gostei muito da experiência e até faria de novo, mas com algum tipo de acolchoado no banco da bike. Se você não tem um dia inteiro ou não está com disposição para tanta atividade, faça somente a trilha da Cachoeira da Farofa que já ficará satisfeito.

ATENÇÃO! Achei fundamental ter feito o percurso de bicicleta. Mas se você gosta ou prefere caminhar, só a trilha dos cânions tem cerca de 12 km e o seu percurso ida e volta leva algo em torno de 6 horas. Já a cachoeira da Farofa está a 8 km da entrada do parque e seu percurso ida e volta leva em torno de 4 horas. Acho muito cansativo.

Estátua do Juquinha:

A estátua do Juquinha é mais um ícone da Serra do Cipó. O personagem ficou famoso depois de acordar durante o próprio enterro, enfermo de uma doença que fazia seu coração parar e depois voltar. Era ainda um andarilho da serra que colhia flores e as oferecia aos turistas em troca de roupas ou comida.

Cachoeiras na Serra do Cipó.

A partir da portaria de entrada do Véu da Noiva, siga pela exuberante estrada que vai para Conceição do Mato Dentro. Desde o ponto citado são aproximados 18 km até a Estátua do Juquinha. Você irá avistá-la da rodovia, sendo que ela fica do lado esquerdo da pista. Aproveite os mirantes que vão se estendendo durante a subida da serra. Para mim, só essa estrada em si já seria um passeio lindíssimo.

Dia 3: Relaxar na Cachoeira Grande.

  • Preço: R$30 reais (R$27 com desconto no aplicativo ou site Guia Cipó).
  • Dificuldade: fácil, não exige muito esforço físico. Existe estacionamento no local. São apenas quinze minutos de caminhada até as cachoeiras.
  • Dica útil: Leve lanche e água porque no local não há restaurantes. É proibido adentrar no local com bebidas alcoólicas, acender fogo, acampar e ainda levar animais domésticos.
  • Quanto tempo: Pode-se passar o dia inteiro no local. Ainda existe uma vantagem: pode-se entrar e sair no estabelecimento quantas vezes quiser naquele mesmo dia. Ideal para quem quiser sair para almoçar ou fazer um lanche.
  • Com ou sem guiaNão é necessário guia para esse atrativo.

Cachoeiras na Serra do Cipó.Fonte: Guia Cipó

A cachoeira grande é ideal para quem quer relaxar. Com várias quedas, o complexo ainda conta com as corredeiras da Xica, Tomé, Lageado e vários poços ao longo de seu curso. É ótimo inclusive para levar crianças e pessoas que não tem nenhuma prática com atividades físicas.

Dia 4: Aproveitar a Cachoeira Serra Morena.

  • Preço: R$30 reais (R$27 com desconto no aplicativo ou site Guia Cipó).
  • Dificuldade: fácil, não exige muito esforço físico. Existe estacionamento no local. As cachoeiras ficam a uma pequena distância de caminhada.
  • Dica útil: O local conta com restaurante (aberto nos finais de semana) e pousada, além de banheiros. É ideal para famílias com crianças. Não é permitido acampar nem entrar com animais domésticos.
  • Quanto tempo: Pode-se passar o dia inteiro no local. São três quedas de água, sendo que a primeira fica a 10 minutos do estacionamento, a segunda a mais 15 minutos e a terceira a cerca de mais 15 de caminhada.
  • Com ou sem guiaNão é necessário guia para esse atrativo.

Cachoeiras na Serra do Cipó.   Fonte: Guia Cipó

O percurso é bem fácil e todo demarcado com placas informativas. Apesar de ainda não ter visitado ouvi dizer muito bem a respeito do complexo, sendo mais uma opção das cachoeiras na Serra do Cipó. Recomenda-se gastar mais tempo na segunda queda.

Dia 5: Trilhas das cachoeiras do gavião e das andorinhas com ou sem a cachoeira do Tombador

  • Preço: Gratuito. Acesso pela portaria do Retiro no Parna Cipó.
  • Dificuldade: moderado, com uma trilha longa. As trilhas são bem demarcadas.
  • Dica útil: Leve lanches, protetor solar, água e roupas leves. A minha dica mais útil de todas continua sendo aquela de usar a sandália aberta com velcro ajustável. Amei fazer trilhas com ela!
  • Quanto tempo: Pode-se passar o dia inteiro no local. São cerca de 7 km (2 horas) até a cachoeira do Gavião e uma caminhada de 700 metros (ou 20 minutos) até a cachoeira das Andorinhas. As cachoeiras ficam bem próximas, você pode seguir o mapa registrado pelo Wikiloc, aplicativo de trilhas e caminhadas com todas as indicações. Para os mais animados, seguindo em frente você encontra a Cachoeira do Tombador que fica a 4 km a frente. São mais 60 minutos de caminhada até essa última cachoeira. Se considerar o percurso completo são cerca de 22 km e algo em torno de 6 a 7 horas de caminhada, o que pode ser puxado para quem não tem prática de atividades físicas.
  • Com ou sem guiaNão é necessário guia para esse atrativo. Mas se quiser contratar no Guia Cipó está disponível.

Cachoeiras na Serra do Cipó.    Fonte: Guia Cipó

Infelizmente ainda não fiz essa trilha, mas está na minha lista. Pelo que li parece um lindo percurso e com público menor por não ser tão popular quanto os passeios anteriores. Quero fazê-la em breve, alguém aí já conhece? Deixa comentários.

Dia 6: Day use no Hotel Veraneio.

  • Preço: R$25 no Guia Cipó.
  • Dificuldade: sair da piscina ou do rio, hahaha. Depois de tanta caminhada e esforço nada melhor do que um dia de relaxamento.
  • Dica útil: O local conta com restaurante de cardápio variado e crianças até 7 anos não pagam. O hotel ainda disponibiliza sinal de internet Wi-Fi.
  • Quanto tempo: O dia todo, sendo que a entrada é a partir das 9 da manhã e saída até as 16 horas.
  • Com ou sem guiaNão é necessário guia para esse atrativo.

Cachoeiras na Serra do Cipó    Fonte: Guia Cipó

Dessa vez não tive tempo de viver a experiência. Mas está na minha lista. Confesso que fiquei numa invejinha quando passei pela ponte de entrada da cidade e vi as pessoas na piscina. Corri para obter mais informações e “salvar” isso na minha lista de coisas para fazer na Serra do Cipó.

Dia 7: Dia inteiro ou algumas horas na Cachoeira da Caverna.

  • Preço: R$20 no Guia Cipó
  • Dificuldade: fácil, pois a queda d´água fica bem próxima do estacionamento.
  • Dica útil: Pelas minhas pesquisas essa é a única cachoeira na Serra do Cipó que aceita a entrada de animais domésticos! Então já tenho um ótimo motivo para visitá-la e levar minhas duas filhotinhas numa próxima viagem. Quem me disse isso foi o pessoal da informação turística do Cipó. Mas não custa nada confirmar no telefone (31) 99142-0646.
  • Quanto tempo: Pode-se passar o dia inteiro no local. São cerca de 12 km a partir da entrada para a cachoeira Véu da Noiva, com placas de sinalização. O local tem banheiro e é adequado para crianças. Consta informação de que há restaurante próximo do local.
  • Com ou sem guiaNão é necessário guia para esse atrativo.

Cachoeiras na Serra do Cipó.                      Fonte: Guia Cipó

Também não tive a oportunidade de conhecer essa cachoeira. Se alguém conhecer já sabe: comenta lá em baixo!

Dia 8: Cachoeira do Tabuleiro.

  • Preço: R$10 na entrada do Parque Natural Municipal do Tabuleiro (São 90 km ou aproximadamente 2 horas de carro desde o centro da Serra do Cipó).
  • Dificuldade: moderado a difícil, com uma trilha, que segundo os caçadores de cachoeiras, pode ser um pouco sofrida para os mais sedentários. Portanto certifique-se da sua condição física e saúde antes de sair caminhando. Leve também lanches, protetor solar, água e roupas leves.
  • Dica útil: A cachoeira do Tabuleiro é a maior queda de água em Minas Gerais e a terceira maior do Brasil. Só por isso já valeria a visita. Depois de passar por Conceição do Mato Dentro você encontrará um trecho de estrada de terra de 21,7 km em condições medianas, portanto prepare o carro para comer poeira.
  • Quanto tempo: Pode-se passar o dia inteiro no local. A trilha tem cerca de 2 km e demanda algo em torno de uma hora e meia de caminhada (só a ida) com alguns trechos indicados como difícil. As trilhas são bem demarcadas e o acesso inicial tem que ser antes das 14 horas. É permitido acampar na entrada do parque e nas proximidades estão algumas pousadas.
  • Com ou sem guia: Pode ser feito sem guia. Mas se quiser contratar no Guia Cipó está disponível.

Cachoeiras na Serra do Cipó       Fonte: Casal Turista

Também está na minha lista de desejos porque sempre que visito a região falta tempo. Mas espero fazê-la em breve e trazer mais detalhes da experiência.

Travessia Lapinha – Tabuleiro

Esse é um passeio relativamente pouco conhecido na Serra do Cipó, mas tem se tornado cada vez mais popular. O trajeto total tem cerca de 42 km e passa por lugares lindíssimos. É uma opção “possível” inclusive para quem não tem experiência nenhuma com trilhas. Porém envolve uma logística de dormir em alojamentos e comer refeições que muitas vezes são simples.

É uma excelente oportunidade para quem gosta de caminhadas e trilhas. Pode até ser feito de forma independente, como relatado pelos blogs a mochila e o mundo e coco no mato. Mas nesse caso eu recomendaria ter alguém experiente no grupo e seguir o gps com o mapeamento do trajeto feito no Wikiloc.

Empresas como a Lapinha Aventura e Bambu Aventura realizam o trajeto de maneira planejada. O usual é fazer o trajeto em 3 dias. Agora se você não tem todo esse tempo e ainda sim quer vivenciar essa aventura, então você pode fazer o chamado Travessão, percurso que faz uma travessia pela Serra do Espinhaço, cruzando montanhas e alguns cursos d’água. Ele dura de 8 a 9 horas e é considerado como nível difícil.

Cachoeiras na Serra do Cipó.

Para quem achou pouco e ainda quer mais deixo o link da Serra do Cipó Turismo com mais cachoeiras e atrativos dessa belezura mineira. Vale ainda conhecer e explorar Lapinha da Serra, outro destino muito visitado e que fica próximo da Serra do Cipó.

Quando ir e visitar as cachoeiras na Serra do Cipó?

O ano inteiro é tempo de conhecer as cachoeiras na Serra do Cipó, mas cabem algumas observações. Se você quer ver as cachoeiras com mais volume de água e não se importa em deparar com alguns dias de chuva então a pedida é ir de novembro a março. É preciso ficar atento aos riscos de trombas d´água e nos dias chuvosos alguns lugares podem ficar inacessíveis.

Se seu intuito é apenas contemplar a natureza o melhor período é entre abril a agosto, quando chega a fazer mais frio na região. Porém fica mais agradável caminhar. Em setembro e outubro o clima fica mais quente e o volume das águas é uma verdadeira incógnita porque depende das chuvas.

Onde ficar hospedado para conhecer as Cachoeiras na Serra do Cipó?

A região é bastante democrática e oferece preços para todos os bolsos. Desde camping econômico a hotel de luxo, separei algumas opções de onde ficar hospedado na Serra do Cipó através do Booking. Também listo 3 opções de hotéis que podem ser interessantes, confira:

Village da Serra

Hospedagem luxuosa e com serviços de massagem, spa além de um restaurante que serve comida local. É excelente para celebrar ocasiões especiais e desfrutar de momentos inesquecíveis. As diárias são a partir de R$398 reais.

Hospedaria Raízes da Serra

Pousada mais bem avaliada da Serra do Cipó. Com nota 9,5 no Booking conta com uma localização excelente e diárias a partir de R$292 reais.

Pousada Sárala

Opção de pousada econômica e também muito bem localizada. Com avaliação 9,4 no Booking as diárias são a partir de R$125 reais.

Quanto custa passear e visitar as cachoeiras na Serra do Cipó?

Sempre pedem pra falar dos valores. Então fiz uma média dos gastos para uma viagem de 2 noites e 3 dias para que tenham uma ideia das despesas. Confira:

  • Compra de lanches para cachoeiras: R$50 reais por pessoa
  • Combustível de Betim/MG > Serra do Cipó e deslocamentos na região: R$200 ( cerca de 400 km percorridos)
  • Hospedagem econômica: R$240 (2 pessoas e 2 diárias)
  • Alimentação (a partir de R$20 reais a refeição, na média, totalizando cerca de R$100 reais)
  • Entrada no Véu da Noiva (R$11 reais por pessoa)
  • Aluguel de Bicicleta (R$35 com desconto)
  • TOTAL DE DESPESAS POR PESSOA: R$350 reais (valores atualizados em janeiro de 2018)

Cachoeiras na Serra do Cipó.

Como Chegar na Serra do Cipó?

Antes de tudo o recomendado é ir para a Serra do Cipó de carro, afinal as cachoeiras não ficam próximas umas das outras. Outra opção muito comum para quem não quer dirigir é contratar o serviço de van e montar um grupo para se divertir na região. Mas se ainda sim você quiser, é possível ir de ônibus. As empresas Serro e Saritur fazem o trajeto desde Belo Horizonte.

Espero que com esse guia super completo das Cachoeiras na Serra do Cipó você não tenha mais desculpas para adiar uma visita a esse cantinho tão especial da minha terrinha. Quem tiver mais dicas não deixe de compartilhar. Abraços e boas trilhas!

Gostou do artigo? Então faça suas reservas aqui pelo blog! Clique nos links abaixo e não pague nada mais por isso. Com a sua ajuda nós recebemos uma pequena comissão e fazemos mais conteúdo de qualidade. Clica, vai? 🙂 

Adquira aqui: chip internacional melhores ofertas de hotéis | alugue um imóvel e sinta-se como morador local | passagens aéreas em promoção | seguro viagem | aluguel de carro | pacotes em promoção | viagem com milhas

Até logo!

Amilton Fortes
Siga:

Amilton Fortes

Administrador, agente de viagens, especialista em coaching, fotógrafo e um turisteiro nato que adora escrever contando especialmente as coisas que ninguém disse sobre os lugares que visita. Segue pelo mundo colecionando seus ímãs de geladeira. contato: [email protected]
Amilton Fortes
Siga:

28 thoughts on “Cachoeiras na Serra do Cipó: Dicas e Roteiro do básico ao avançado

  1. Viviane Carneiro says:

    Nossa…. que lugar mais lindo! Adorei o post, as dicas e as fotos maravilhosas! Já quero conhecer. Bjs

  2. Jair Prandi says:

    Bem completo o post! Estive recentemente na Serra do Cipó, mas em uma passagem rápida, visitei somente a Cachoeira do Tabuleiro e a Cachoeira Grande. Seu artigo me inspirou a voltar com mais tempo!

  3. Ana says:

    Sem dúvida alguma um dos muitos lugares bonitos do Brasil. Tem imagens nesse texto de tirar o fôlego de qualquer ser mortal! O que me chama a atenção é sua observação sobre ter o que fazer em 1 dia ou 1 mês. 1 mês?! Nossa deve ser uma maravilha passar algumas semanas imerso em um lugar bonito assim, que deve ser cheio de energia.

    O texto está ótimo como muitas informações uteis para quem pretende explorar a região: descontos e a questão do uso do cartão, para citar apenas 2.

    • Turisteiro says:

      Puxa Ana, que bacana o seu comentário, muito obrigado! Sem dúvida, coisas para fazer por lá é o que não falta.. Tentei ser o mais detalhista e informativo possível, fico muito feliz em saber que foi útil.

  4. angiesantanna says:

    adoro lugares assim, ja fui em alguns lugares na serra de SC e no RS. Apesar de eu gostar de bate volta, farei como vc, ficar mais dias para aproveitar bem o lugar.. mas iria começar pela cachoeira da farofa pois não sou muito forte na pedalada

  5. Rafaella Machado says:

    Arrasou nas fotos, belas dicas e relato. Ainda não conheço essa região, com diversas atividades e muitas coisas para fazer durante todo o dia. Foi muito útil seu post e já coloquei aqui nos favoritos para quando for para região pegar mais dicas. Adorei.

  6. Adriana Mendonca says:

    Que maravilhoso esse luar! Sou apaixonada por cachoeiras e essas fotos estão lindas. Muito legal seu post agradando a básicos e avançados, dá pra decidir bem o que fazer, valeu!

  7. Oscar Risch - www.viajoteca.com says:

    Post super completinho.. Adoro passeios em meio a natureza.. Não é por acaso que antes de virar blogueiro de viagem eu um dia estudei engenharia florestal. Ainda não conheci a Serra do Cipó, mas esta na listinha de desejos de lugares para conhecer em MG.

  8. Ruthia says:

    Estive na Serra do Cipí há um zilião de anos, era uma jovem universitária, mas só conheci as cachoeiras mais acessíveis. Adoraria fazer um trilho mais longo para ter acesso a um mais reservada

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: