Roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas incluindo Cortina d’Ampezzo

roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas

Essa ideia começou com uma vontade enorme de conhecer os alpes suíços nas minhas férias desse ano, mas foi só olhar os valores de trens, pedágios e hospedagens para montar um roteiro a “glamurosa” St. Moriz e região que logo mudei de ideia. Foi aí que descobri que a Itália também tem uma belíssima cadeia montanhosa e tomei uma decisão: montei um roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas de duas noites por paisagens absurdamente lindas durante a minha jornada entre Veneza e Milão. Dá só uma olhada!

O que fazer na região de Trentino-Alto Àdige?

Se você já ouviu falar das dolomitas, saiba que ela ainda é praticamente desconhecida dos turistas que preferem concentrar sua atenção em cidades famosas como Pádua, Verona ou simplesmente pegam o trem que liga Veneza direto com Milão. Não os julgo, mas considero tamanho desperdício!

O norte da Itália inclui belezas quase inexploradas e isso me deixou ainda mais empolgado para montar meu roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas. Por ali, atividades como caminhada, piquenique, esqui (no inverno) ou simplesmente contemplar lagos, montanhas e rios vão te deixar bem mais próximo da natureza e mais longe dos aglomerados turísticos.

roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas

Leia também: 3 dicas úteis para conhecer os Alpes italianos e as Dolomitas

No entanto, foram surgindo algumas dificuldades: as linhas de trem e ônibus (pra nem citar os aeroportos) são bastante limitadas e informações em português são praticamente inexistentes.

Somados a isso estão os incontáveis lugares interessantes no roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas e que não formavam exatamente uma rota. A vontade era montar uma base na região e ficar pelo menos uma semana. Peguei muitas dicas interessantes no blog mulher casada viaja, o qual recomendo a leitura.

Filtra daqui, filtra dali, descubro que não há outro jeito de explorar a região de um jeito eficiente se não for com um carro alugado.

roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas

A boa notícia é que no roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas (também conhecidos como “Trentino-Alto Àdige“) você vai dirigir por algumas das estradas mais lindas do mundo e terá a liberdade de parar onde e quando quiser. Pesquisei muito sobre onde e como alugar um carro e consegui o menor valor no site da rentcars. A locadora já mostrava o preço final e com desconto se o pagamento fosse feito à vista no boleto.

Como alugar um carro para explorar os alpes italianos?

Como já citei anteriormente, no meu planejamento iria retirar o carro em Veneza e devolvê-lo em Milão (o que torna a locação mais cara devido a taxa de deslocamento, mas em contrapartida faz com que não precise pagar um trem, avião ou ônibus para ir de uma dessas cidades para a outra).

Outro ponto relevante dessa reserva é que o veículo precisava obrigatoriamente ser retirado e entregue nos aeroportos das respectivas cidades, pois não havia nenhuma opção de retirá-los em agências que ficam dentro das cidades. Nesse trecho parece não haver pedágios.

roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas

Entretanto mesmo tendo que deslocar até os aeroportos para usufruir do veículo e considerando os gastos com gasolina, ainda sim na hora de somar o preço final, o aluguel do carro ficava mais barato do que arcar com passagens aéreas ou de trem entre as duas cidades, sendo que o custo só seria menor caso fosse de ônibus. O carro só não é vantagem se você estiver sozinho.

Roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas:

Depois de ler quase tudo que podia e enxugar ao máximo as opções para elaborar uma rota plausível, o roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas ficou assim:

DIA 1

(Não esquecer de levar na mochila lanche, água e protetor solar!)
10h: Saída do Aeroporto de Veneza (A);
11h30min: Chegar ao Valle di Cadore (B), onde funciona um centro de informações turísticas e tirar todas as dúvidas que ainda tiver sobre o roteiro, dirigindo até o Lago Misurina (C); fique atento aos horários da “siesta italiana”, pois tudo fecha nesse horário.
Obs: Nesse ponto irei passar direto pela cidade de Cortina d’Ampezzo(D), explorando o lugarejo apenas na volta.

roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas

12h: Chegar no incrível Lago Misurina e fazer um piquenique por lá, inclusive li que tem um mercadinho onde é possível comprar coisas para comer. No inverno dá pra patinar sob o lago congelado e no verão a boa pedida é relaxar por ali mesmo.

roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas
14h: Pegar a estrada rumo ao Rifugio Auronzo (E), ponto de onde começar uma caminhada na direção dos impressionantes Três Cumes de Lavaredo (F), uma das dolomitas;
15h30min: Chegada aos Três Cumes e contemplar a paisagem. Os relatos indicam que apesar de durar uma hora e meia, a caminhada é super tranquila e pode ser inclusive realizada por crianças e pessoas idosas;

roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas
16h30min: Início da descida até o Rifugio Auronzo, que dura mais uma hora e meia;

Feedback:

A subida aos Três Cumes de Lavaredo ficou para uma próxima vez. Confesso que estava muito cansado por já estar viajando a mais de vinte dias num ritmo bastante frenético. Contentei apenas com a contemplação do Lago Misurina e a belíssima região.

18h: Saída para o centro da cidade de Cortina d’Ampezzo ou check-in no Hotel Appartamenti Codàn (melhor custo/benefício que encontrei) e adorei!;
19h: Passear pelas ruelas da famosa cidade de Cortina, explorando seus sabores e melhores ângulos para fotografar ou relaxar; São apenas 15 minutos de carro entre o hotel e o centro de Cortina, sendo uma delícia andar por lá.

Informação relevante: esse roteiro foi realizado no verão, sendo que viajei no mês  de junho quando o sol se põe por volta das 20h30min e o dia é muito grande. O clima era agradável e um agasalho fino era suficiente para as horas mais frias do dia.

DIA 2

(Não esquecer de levar na mochila lanche, água e protetor solar!)
9h: Zarpar logo cedo para o Passo Tre Croci (G), ponto onde é preciso deixar o carro para fazer a caminhada até o inacreditável lago Sorapis (H);

roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitasLeia também: Lago di Sorapis – como chegar nesse paraíso das Dolomitas

9h30min: Iniciei a caminhada que dura em torno de duas horas até o que foi o ponto mais alto desse trecho da viagem: o lago di Sorapis com suas águas azuladas e mais dolomitas ao fundo;
11h30min: Chegada no lago, é interessante contornar toda a borda dele e apreciar os mais diversos ângulos das dolomitas. Apesar do calor a água era gelada e não animei de nadar.
14h: Iniciar a trilha de retorno;
16h: Chegada ao Passo Tre Croci, pegar o carro e dirigir até outro lugar espetacular: o Rifugio Col Gallina (I);
17h: Ir também no Passo Giau (J), que fica a apenas meia hora do Rifugio Col Gallina, de onde se avista outra montanha dolomita piramidal com um que mais parece outro papel de parede de qualquer computador!

roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas
19h: Mais um fim de tarde na pitoresca cidadezinha de Cortina d’Ampezzo;

Feedback:

Nesse dia o passeio ao lago sugou todas as minhas energias e não foi possível conhecer os pontos (I) e (J). Planejei passar neles no dia seguinte antes de seguir aos outros pontos planejados. Todavia, em razão de um acidente na estrada tive que pegar outro caminho e esse cenário também ficou para uma próxima.

DIA 3

(Não esquecer de levar na mochila lanche, água e protetor solar!)
8h30min: Saída para o “Puez-Geisler Nature Park(K)“, são aproximadamente 2 horas e meia de viagem por montanhas e vales de babar o queixo;

roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas

11h: Estacionar e caminhar livremente pelo parque com a visão da maior cadeia de dolomitas. As trilhas tem intensidade leve, moderada ou pesada. A título de informação, bem de frente ao parque tem um hotel para quem quiser ficar lá por mais tempo;
13h: Saída do parque em direção as cidades de Bolzano (L) e Trento (M), passando pelo lago de Garda (N), com pausas rápidas para fotos;

Em razão do desvio na estrada que tivemos de fazer, paramos apenas no Lago de Garda, outro belo local onde a temperatura da água já era  mais convidativa para banho e muitas pessoas faziam piquenique.

19h-20h: Chegada prevista no Aeroporto de Milão (O) para devolver o carro e seguir para o hotel naquela cidade. Acabei chegando mais cedo do que previsto no Aeroporto de Milão e a devolução do carro foi bem tranquila. De lá segui de trem até o meu hotel na cidade.

No mapa a seguir estão detalhados todos os pontos e a rota para se ter uma ideia do deslocamento. O arquivo é público, então pode salvar nos seus mapas para usar posteriormente, se quiser.

CONCLUSÃO:

Então esse meu roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas com algumas adaptações. Acredito que estando mais descansado é possível cumprir com tranquilidade todo o cronograma. E você, já conheceu ou ficou interessado no roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas? Se tiver alguma dica ou dúvida também será bem vinda.

Faça suas reservas pelo nosso site com descontos e vantagens, você não paga mais nada por isso e nos ajuda a manter o blog!

Reserve: | chip internacional| passagens aéreas em promoção | melhores ofertas de hotéis | seguro viagem | passeios

Ficou com alguma dúvida ou gostou desse post? Gostaria de compartilhar outras informações que podem ajudar? Então deixe um comentário lá em baixo!

Até logo!

Salvar

Amilton Fortes
Siga:

Amilton Fortes

Administrador, agente de viagens, especialista em coaching, fotógrafo e um turisteiro nato que adora escrever contando especialmente as coisas que ninguém disse sobre os lugares que visita. Segue pelo mundo colecionando seus ímãs de geladeira. contato: [email protected]
Amilton Fortes
Siga:

34 thoughts on “Roteiro para conhecer os alpes italianos e as dolomitas incluindo Cortina d’Ampezzo

  1. Laís says:

    Essas fotos são reais?! Parecem pinturas! Sem noção a beleza desses lugares, os olhos nem devem conseguir acreditar em tanta coisa linda!

  2. fabianaoliv says:

    Adorei o seu post. Rico em detalhes. Parabens.
    Conheço a Italia, mas não os Alpes. Fiquei com vontade.
    Vai para a minha wish list.

  3. Camila Lisbôa says:

    Is this real?! oO gente que lugar absurdamente lindo! As fotos parecem pintura!

    E o roteiro tá guardadinho aqui na wishlist porque né, agora deu mais vontade ainda de conhecer!

  4. Francisco Piazenski says:

    Meu Deus, o que são essas fotos?? Sempre tive vontade de viajar pelo interior da Suíça buscando justamente essas paisagens, e elas são formidáveis também na Itália! Parabéns pelo relato, excelente!

    • turisteiro says:

      Obrigado Francisco! Te digo ainda mais: as paisagens da Itália são infinitamente mais acessíveis do que as da Suíça. Vale muito a pena conhecê-las.

  5. Luiza Cardoso (olhosdeturista) says:

    Caramba que demais! Já vi os alpes italianos do avião, é bem impressionante mesmo, imagine de pertinho! ^^
    Adorei o roteiro de vocês, vai dar para aproveitar bastante! Tenham uma ótima viagem e depois nos passem os detalhes! =D

  6. Analuiza (Espiando Pelo Mundo) says:

    Se em minha recente passagem pela Suíça eu já fiquei embasbacada com o que vi, fico imaginando como deve ser estar diante de tão inacreditáveis paisagens!!!! Vou seguir seus passos qualquer dia desses e explorar esta parte gloriosa do mundo!!!! 🙂

  7. Deisy Rodrigues says:

    Não tinha ideia desse roteiro pela Itália e estou agradecendo aos céus por ter caído nesse post, ficamos tão focados nas principais cidades turísticas que acabamos deixando passar belezas como essa. Já estou ansiosa pra ver os outros posts.

  8. Edson Jr says:

    O norte da Itália é um lugar maravilhoso, não? E tantos lugares para conhecer… nós fizemos um roteiro pela região e acabamos não passando por nenhum dos pontos listados por você. Precisamos voltar!

  9. Ricardo says:

    Amilton,
    Sensacional a sugestão de roteiro, está super detalhada, estamos indo agora em setembro para lá e gostaria de saber como foi sua experiência. Tem previsão de quando publica o post com o relato da viagem?
    Abs

  10. Priscila says:

    Olá,tudo bem?
    Qual a previsão de atualização do Post? Estou montando as férias do próximo ano, a principio pensei na região de Sardenha, mais quando vi sua Postagem….Uauuuuu que lugar magnifico.Como faço a programação com bastante antecedência gostaria das suas dicas para ver se consigo incluir essa região,vou em Julho 2018 e pretendo ficar 27 dias viajando.
    Abraços e Obrigada

  11. Rafael van der weyden says:

    Que iradoooo. Vou alugar um motorhome em milao e meu primeiro destino sera as dolomitas. Muito obrigado pelo post.

  12. Marcia says:

    Oi, Amilton, obrigada pela citação do Mulher Casada Viaja! Vou seguir seus posts para viajar pra lá de novo através deles. Abraços

  13. TARCISIO SARA says:

    JA FIZ UMA VIAGEM A SAN PETER SANTA MAGDALENA PROXIMO A BOLZANO E REALMENTE LINDO. CONHEÇO CORTINA E O LAGO DE MISURINA TAMBEM….MAS PRETENDO VOLTAR E CONHECERE MUITOS OUTROS LUGARES NESTAS MONTANHAS QUE SAO REALMENTE ENCANTADORAS E INIGUALAVEIS. PURA MAGIA. SEM CONTAR OS SABORES DAS TRADICIONAIS COMIGADAS REGIONAIS DAQUELAS MONTANHAS. COMIDAS MARAVILHOSAS.

  14. Leandro Chaves says:

    Realmente são dicas muito boas! Gostaria de saber: seguindo esse roteiro é possível ver a famosa imagem da vila e da igreja de Santa Maddalena em Val di Furnes, próximo ao Parque Puez-Geisler?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: