As melhores dicas para um, dois ou três dias em Búzios

Por do sul Búzios

Búzios é o tipo do lugar que dispensa apresentações e quem vai dificilmente não se apaixona. Não foi à toa que a atriz francesa Brigitte Bardot colocou esse paraíso no mapa: praias deliciosas, charme nas ruas, bares e restaurantes requintados, agitada vida noturna e a presença de muitos gringos, afinal a cidade é considerada balneário “quase caribenho” dos hermanos argentinos e chilenos. Empanadas e churros estão por toda parte, graças a Deus! Preparei um texto supimpa com todas as dicas para tornar até três dias em Búzios totalmente inesquecíveis, vem conferir!
Praia dos Ossos

+ Veja aqui também nossas dicas da cidade vizinha de Arraial do Cabo
+ Veja também as dicas de Búzios no Viagens Cine, blog parceiro do #Turisteiro.

Como curtir o fim de tarde e o por do sol 

Se chegar em Búzios no meio da tarde, a melhor pedida é correr para apreciar o por do sol no Porto da Barra, onde está a praia de Manguinhos (não muito recomendada para banho). Além de contar com uma orla pra lá de charmosa repleta de restaurantes e bistrôs que oferecem variado menu você também pode se esparramar em espreguiçadeiras, sofás, pufes ou sentar em mesas sombreadas por árvores, ouvindo músicas dos mais vários tipos. Esse cenário incrível ainda tem uma plataforma de madeira que se estende mar adentro, ideal para uma pequena caminhada ou ainda se sentar por ali mesmo até ver o sol baixar. Ao cair da noite, a pedida pode ser assistir apresentações de MPB na Casa Wagner Jazz Club, que vira e mexe recebe artistas do antigo Clube da Esquina. Por ali tem também o Zuza, com seu cardápio que tem do nordeste ao Japão. E para os amantes da sofisticação, procure pelo Donna Jô, filial do famoso Quadrucci (que tem sua sede no Leblon/RJ) e serve risoto de lagosta, polvo grelhado, moquecas, costela de cordeiro, dentre outros. Por ali estão inclusive galerias e ateliês para quem gosta de ir as compras, mas leve repelente porque os mosquitos estão por toda parte.

DSC_1008

Vai dar praia no primeiro dia! 

Acordou cedo ou quer curtir logo a praia? Então não erre no primeiro dia: vá direto para as praias gêmeas de Azeda e Azedinha, que ficam grudadas uma na outra. É possível ir caminhando a partir da Rua das Pedras, leva cerca de 20 minutos, seguindo sempre em frente para o lado direito. Você passará pela praia dos Ossos, onde ficam alguns barcos (não é muito recomendada para banho), seguindo por uma rua na qual só existe trânsito local. Quando avistar uma escada de madeira então você terá chegado ao paraíso. Basta descê-la e ajeitar-se, já que o espaço é pequeno. Cadeiras e sombreiros podem ser alugadas, além do local oferecer barracas com bebidas, drinks e petiscos. Acho válido alertar que o azedo do lugar são os preços, tudo bastante inflacionado. Para quem curte por do sol, dizem que o visual dessa praia é incrível ao entardecer, vale a espera.

Praia Azeda

Além da água transparente é legal também que nessa praia as ondas praticamente não existem. Ótima para relaxar e curtir um visual pra lá de paradisíaco de Búzios, foi uma das praias que mais gostei. Para quem não quer gastar as canelas, uma alternativa é pegar um taxiboat, que saem de diversos piers espalhados por toda a cidade, inclusive na própria Rua das Pedras. A tarifa média é de R$8,00 (REF: Mar/2016). De carro, o lugar mais próximo que você consegue parar dessa praia é numa espécie de pracinha, coloque no seu GPS “Rua João Fernandes” ou “Travessa Vilage” e estacione por ali, caminhando cerca de 10 minutos.

Cheguei a fazer uma parada nas praias de João Fernandes e João Fernandinho, que ficam relativamente próximas das praias Azeda e Azedinha, e preciso confessar que meu plano inicial era ficar por elas, mas não gostei. Além dos restaurantes cobrarem pelas mesas ou forçarem os #turisteiros a almoçar pelo local, achei a praia menos agradável que as demais que conheci, sua areia vermelha também não era das mais belas. Mas saiba que essas duas são tidas como as “favoritas” dos gringos, enfim: uma questão de gosto.

Praia da Tartaruga

Se você, assim como eu, tem pressa de conhecer mais de uma praia por dia, saia dali e almoce no centro. A segunda parada do dia é na praia da tartaruga. Para quem não está de carro, é possível utilizar o transporte público ou alternativo para se deslocar pela cidade. Se pegar um taxiboat, é possível fazer uma corrida diretamente de uma praia para a outra. Nessa praia dizem que é muito comum ver tartarugas, fato que não tive a sorte de confirmar. A praia em si não é das mais bonitas, mas é ótima para fazer stand up paddle, caiaque e snorkel, sendo que há aluguel de todos esses equipamentos disponível. Foi bacana também porque ficamos em uma barraca que não cobrava nem pela cadeira nem pelo guarda sol, apenas o consumo, economizei uma grana.

Entardeceu, é hora das compras e de visitar lojinhas

Todo final de dia em Búzios chega a hora de caminhar pela Rua das Pedras. São tantas, mas tantas lojas e detalhes que ainda que fique uma semana por lá é possível que não consiga ver tudo que o mágico trecho tenha a oferecer. Estão presentes lojas como Farm, Favela Hype, Osklen, Animale, Wöllner, Redley, Cantão, dentre outras famosas grifes e outras mais simples também. Recomendo também o delicioso Chez Michou para degustar crepes, vinhos ou simplesmente ficar só de olho no movimento de vai e vem. A rua é bastante democrática, há também lojinhas de lembrancinhas e outras marcas que oferecem preços mais populares. Grandes redes de fast food como Bob´s, Subway e Mcdonalds também estão por ali, para a alegria dos mochileiros e da galerinha que quer comer pagando menos.

Rua das Pedras

Nas suas andanças noturnas, explore também a Rua Manoel Turíbio de Farias, que fica paralela a Rua das Pedras e tem igualmente opções de vitrines para admirar ou comprar. E bem escondidinho está o Passeio das Palmeiras, em frente ao Cine Bardot, na Travessa dos Pescadores, com diversas lojinhas e muito garimpo especialmente para a mulherada. Tem também a tradicional feirinha hippie, na praça Santos Dumont, com precinhos bem mais camaradas do que do resto da cidade.

Drinks, música e baladas: pode ir que tem!

Para quem procura um bom lugar para bebericar, na orla Bardot pode-se sentar no Captains Bar, com mesinhas na calçada ou então se esparramar no Anexo Bar, com um delicioso sonzinho louge. O Deck Casas Brancas é informal, a luz de velas e ideal para os casais enamorados. Tem também o badalado Buddha  Bar, tido pela maioria como um dos melhores. Quer dançar até o amanhecer? A Privilege/Café de la Musique garante uma das melhores festas disponíveis no Brasil, fique de olho na programação.

Happy hour em Búzios

Segundo dia: mais praias…

Dia seguinte chega a hora de conhecer a minha outra praia favorita de Búzios: a da ferradura. Essa praia fica a cerca de 30 minutos de caminhada da Rua das Pedras e tem acesso fácil para carros, sendo possível estacionar bem pertinho da sua entrada. O que mais me impressionou aqui foi a cor da areia, muito branquinha e também a do mar, que tinha diversos tons de azul e me lembrou até mesmo das deliciosas praias que conheci na Tailândia, viu? Vista de cima, a praia tem um formato de ferradura com ondas moderadas e uma água de temperatura muito agradável no mês de março. Pagamos pela cadeira e por ali ficamos por uma deliciosa manhã, não vi nenhum taxiboat chegando nessa praia.

Praia da ferradura

A uma pequena distância, uma curtinha faixa de areia forma a chamada praia de ferradurinha, que nada mais é do que uma extensão da praia maior. No quesito esportes, tinha apenas um quiosque que alugava pranchas para stand up paddle (R$30 meia hora e R$50 uma hora inteira). No mesmo esquema de duas praias por dia, dali segui novamente para o centro, onde almocei em um self-service. Na parte da tarde era hora de conhecer a Praia de Geribá.

A praia de Geribá é extensa, porém sua água não é tão cristalina quanto a das outras. Foi nela que peguei as ondas mais violentas, não sei se por se tratar de mar aberto e de tê-la visitado no período da tarde, quando a maré costuma ser mais alta. Muitas barracas estão por lá, sendo que você não paga pelas cadeiras se consumir ao menos uma água. O point da praia é o Fishbone Café, onde no fim de tarde muitos jovens se encontram para curtir a música que beira a uma balada. Nessa praia também é comum encontrar surfistas.

Praia de Geribá

Dúvida cruel: ir ou não de carro? 

Depois de três dias muito intensos, posso dizer que um carro é essencial se você tiver fora do eixo da Rua das Pedras, sendo que fiquei hospedado na pousada Garota de Geribá, da qual recomendo muito, pois se trata de um ambiente bastante familiar, hospitaleiro e com excelente infraestrutura por um preço justíssimo. Outras opções também no site do booking.

Quem vai de carro se assusta um pouco com o sistema rotativo de Búzios, já que ele é bem diferente do resto do Brasil. Diversos funcionários identificados são responsáveis por anotar e fiscalizar as paradas de seu veículo. Cada hora custa R$3,00 e na teoria o sistema funciona muito bem, porém na prática a coisa fica um pouco complicada. Teve dias em que os “fiscais” colocaram uma hora a mais do tempo que eu permaneci e ninguém estava no local para eu comprovar minha saída ou fazer alguma reclamação. Comprei também antecipadamente um crédito de horas que misteriosamente desapareceu, sendo informado que só seria possível saber detalhes do consumo na central da empresa. De qualquer forma, aconselho pagar suas horas e verificar com algum deles seu saldo devedor antes de deixar a cidade, pois caso fique com débito, poderá receber uma multa em casa.

É claro que a cidade merece mais tempo, afinal são 23 praias (incluindo a Olho de Boi, onde existe a prática de naturismo) e muita beleza a ser explorada. E quem quer investir mais tempo na cidade pode ainda se juntar a um passeio de barco nas redondezas oferecido em quase todas as esquinas. Para se ligar na agenda completa, procure pelo jornal Perú Molhado, à venda nas bancas e distribuído em algumas pousadas. Mesmo que eu ficasse por ali um mês inteiro, certamente ainda deixaria Búzios com aquele gostinho de quero mais, volto fácil!

Não se esqueça de fazer suas reservas por meio dos links do nosso site. Dessa forma, além de você não pagar nada a mais, recebe descontos e ajuda a manter o nosso trabalho.

Confira: | passagens aéreas em promoção | melhores ofertas de hotéis | seguro viagem |

Ficou com alguma dúvida ou gostou desse post? Gostaria de compartilhar outras informações que podem ajudar? Então deixe um comentário ou envie um e-mail para: [email protected].

Até logo!

Amilton Fortes
Siga:

Amilton Fortes

Administrador, agente de viagens, especialista em coaching, fotógrafo e um turisteiro nato que adora escrever contando especialmente as coisas que ninguém disse sobre os lugares que visita. Segue pelo mundo colecionando seus ímãs de geladeira. contato: [email protected]
Amilton Fortes
Siga:

3 thoughts on “As melhores dicas para um, dois ou três dias em Búzios

  1. Pingback: O que fazer em um, dois, três dias ou mais em Arraial do Cabo/RJ -

  2. Ju Morgado says:

    Oi gente! to indo pra búzios mês que vem e fiquei sem entender… como é esse esquema de rotatividade do carro? onde eu moro não existe rodízio então é um conceito diferente pra mim. Essa taxa que vcs citaram é para estacionamento ou simplesmente por estar rodando? Valeu 🙂

    • turisteiro says:

      Oi Ju! O rotativo é um valor que vc paga pelo tempo que deixar o carro estacionado naquele local. Geralmente o tempo é marcado em horas e tem vários funcionários uniformizados que vão te ajudar e podem explicar melhor, é super tranquilo, não se preocupe!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: